Direcção artística, edição online e grafismos para a peça “Verdade ou Consequência (em colaboração com Nuno Marques).
Todos os anos, os Oxford Dictionaries elegem uma palavra como sendo aquela que dominou as conversas em todo o mundo. Em 2016, a palavra escolhida foi “Pós-Verdade”, pelo seu uso ter crescido 2000% no ano do Brexit e de Donald Trump.
A pós-verdade alimenta-se de notícias falsas, da exacerbação de medos, da falta de tempo para verificar factos, da indiferença social e da ausência de literacia da informação, propagando-se sem controlo com a internet e as redes sociais. Na sociedade do hiperconsumo, o poder dos algoritmos é cada vez maior. As novas tecnologias são opacas e facilitam a manipulação. Como lidar com a cascata de informação sem filtro que nos cai em cima constantemente? Precisamos de uma novidade por minuto, precisamos mesmo de estar sempre conectados? Como não enlouquecer neste caos informativo e digital? Como chegar mais perto da verdade?
Art direction, online editing and graphics for the video piece “Truth or Dare” (in collaborarion with Nuno Marques).
Every year, the Oxford Dictionaries choose one word that has dominated conversations around the world. In 2016 the chosen word was “Post-Truth”, because its use grew by 2,000% in the year of Brexit and the election of Donald Trump.
Post-truth is a swamp that feeds on fake news, exacerbation of fears, lack of time to check facts, social indifference and absence of information literacy, spreading uncontrollably with the internet and social networks. In a hyper consumption society, the power of algorithms is ever increasing. Technology is opaque. Manipulation is spreading from politics to private life. How do we deal with this cascade of unfiltered information that falls on us constantly? Do we really need news by the minute, do we really need to always be connected? How to not go crazy in this informative and digital chaos? How can we get closer to the truth?